Tudo o que você deveria saber sobre a Floresta Amazônica!

0 comentários
floresta-amazonica

 

Não existe nenhuma pessoa na Terra que não tenha ouvido falar sobre a Floresta Amazônica. No restante do planeta, ela é, com toda a certeza, a principal relação que as pessoas fazem com o nosso país. Provavelmente, essas pessoas sabem que ela é a maior floresta tropical do mundo e que precisamos preservá-la. Agora, vamos concordar, você que é brasileiro, tem a obrigação de saber muito mais do que isso! Fique aqui que a gente explica tudo o que você precisa saber para não passar mais vergonha com seus amigos gringos.

Onde fica a Floresta Amazônica?

Se você achou que a resposta para essa pergunta é óbvia, está muito enganado. E se a sua resposta foi Brasil, ela está incompleta. A Floresta Amazônica é a maior floresta tropical do mundo e está longe de ser uma exclusividade nossa. Embora 60% dela esteja dentro do território brasileiro, a Floresta Amazônica também está na Bolívia, Colômbia, Equador, Guiana Francesa, Guiana, Peru, Suriname e Venezuela. Ou seja, ela ocupa aproximadamente 40% da América do Sul e é responsável pelo volume de pouco mais da metade de todas as florestas tropicais do mundo.

Mas e dentro do Brasil? Ela está presente em quais Estados?

A Floresta Amazônica ocupa 334 milhões de hectares do nosso território nacional e está presente nos Estados do Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Maranhão, Pará, Roraima, Rondônia e Tocantins. Segundo o IBGE, a parte de florestas de mata fechada e densa cobre aproximadamente 64% da Amazônia Legal. Já as partes compostas por cerrados, campos naturais e campinaranas (um tipo particular de vegetação presente em fragmentos florestais onde o solo é raso, pobre e rochoso) ocupam outros 22%. Os 14% restantes de cobertura vegetal foram desmatados até 2004. Outra informação importante é que em torno de 24% da Amazônia Legal corresponde a áreas privadas.

Você sabe o que significa Amazônia Legal?

A Amazônia Legal corresponde a 61% do território brasileiro e lá estão apenas 12,32% da população nacional, o que a torna a região de menor densidade demográfica do país. Dentre os habitantes, 68,9% vivem na zona urbana. O conceito Amazônia Legal foi definido pelo governo brasileiro com o objetivo de unir os Estados da região amazônica que sofrem com os mesmos problemas e desafios econômicos, políticos e sociais, com intuito de fortalecer as políticas públicas, intensificar o planejamento e promover o desenvolvimento econômico e social da região. Por isso, os limites territoriais da Amazônia Legal não são definidos geograficamente, mas sim através de uma análise política e social da região, o que já representou diferentes extensões na história. Segundo o artigo 2 da lei nº 5.173, de outubro de 1966, os Estados que compõem a Amazônia Legal são Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins, parte do Maranhão e cinco municípios de Goiás. A área de 5.217.423 km², além de abrigar todo o bioma amazônico brasileiro, ainda contém 20% do bioma Cerrado e parte do Pantanal mato-grossense.

Você sabe o que é um bioma?

Um bioma é uma área caracterizada por sua fauna, flora, solo, clima e vida selvagem. Podemos dizer que existem cinco tipos principais de biomas: aquático, pastagem, floresta, deserto e tundra. Alguns desses biomas podem ainda ser divididos em categorias mais específicas, como água doce, marinho, savana, floresta tropical, floresta temperada e taiga. Ou seja, cada bioma tem formas de vida características daquele local. Isso quer dizer que as plantas e animais de um bioma dificilmente serão encontrados em outros biomas. Porém, biomas às vezes podem ser confundidos com conceitos ecológicos semelhantes, como habitats e ecossistemas. Ecossistemas são as interações entre o conjunto de todos seres vivos de um determinado lugar, dentro do meio ambiente. Ou seja, podem existir muitos ecossistemas dentro de um único bioma. Já um habitat é o lugar específico em que vive e se desenvolve uma população ou espécie.

Entenda melhor o que é o Bioma Amazônico

O Bioma Amazônico é tido como a área predominantemente de floresta tropical, úmida, densa, com ocorrências pequenas de vários outros tipos de vegetação, como savanas, florestas de várzea, pastagens, pântanos, bambuzais e florestas de palmeiras. Esse bioma abrange cerca de 6,7 milhões de km2, sendo que, além do Brasil, ele pode ser encontrado na Bolívia, Peru, Equador, Colômbia, Venezuela, Guiana, Guiana Francesa e Suriname. As bacias hidrográficas completas que passam por ele se expandem para além do bioma e, às vezes, chegam a outros biomas, como cerrado e puna.

Qual a diferença entre Floresta Tropical e Floresta Amazônica?

A Floresta Tropical, também conhecida como floresta pluvial tropical ou floresta úmida, é uma área de árvores altas, na maioria do tempo verdes, com muita ocorrência de chuvas. São os ecossistemas vivos mais antigos do nosso planeta, sendo que alguns mantêm suas características originais há mais de 70 milhões de anos. Abrigam cerca da metade da fauna e da flora do mundo, mesmo ocupando apenas 6% da superfície terrestre. As maiores florestas tropicais ficam ao redor do rio Amazonas, na América do Sul, e do Rio Congo, na África. As ilhas tropicais do Sudeste Asiático e partes da Austrália também possuem florestas tropicais. Até mesmo algumas florestas do noroeste do Pacífico na América do Norte e no Norte da Europa são consideradas um tipo de floresta tropical. A Floresta Amazônica é a maior floresta tropical do mundo. Por estar a uma baixa latitude, recebe muita energia solar e muita massa de ar úmido. As temperaturas médias são muito altas, com muita chuva, durante o ano inteiro.

 

Um pouco da fauna da Floresta Amazônica

Já deu para perceber até aqui que a Floresta Amazônica tem uma biodiversidade incomparável. Segundo a Academia Nacional de Ciências, a cada 10 km2 de Floresta Amazônica, é possível encontrar 125 espécies de mamíferos, 60 de anfíbios, 100 de répteis, 150 de borboletas e mais de 400 espécies de pássaros. São cerca de trinta mil espécies animais catalogadas e muitas ainda sem catalogar. Só no Brasil, o Ministério do Meio Ambiente tem catalogados ao menos 311 mamíferos, 1300 aves, 273 répteis, 232 anfíbios e 1800 peixes. Dentre esses, podemos encontrar nos rios mamíferos como o boto-cor-de-rosa e o tucuxi. Esse, um pouco menos famoso que o primeiro, é uma espécie de boto preto. Nos rios, também temos o peixe-boi, ariranhas e lontras. Na parte mais densa das florestas, entre os inúmeros animais, podemos encontrar os tamanduás, a onça pintada, que está em extinção, e a anta, um animal importantíssimo para a manutenção da biodiversidade. As antas medem de 1,70 a 2 metros de comprimento, chegando a 1,2 metros de altura e pesando até 300 Kg, sendo o segundo maior mamífero terrestre da América do Sul. Elas são conhecidas como as jardineiras das florestas e têm até um dia, 27 de abril, para comemorar sua existência. As antas, assim como alguns pássaros, se alimentam de frutos, folhas, gramas, brotos e fibras, se tornando um grande distribuidor de sementes pela floresta. Por ser uma animal grande, muito maior que os pássaros, ela consegue se alimentar de frutos grandes, que os pássaros não conseguiriam. Ou seja, o cocô da anta é cheio de sementes, já internamente adubadas, cuja distribuição é importantíssima para o ecossistema florestal.

Agora, um pouco da flora

Milhares de espécies vegetais diferentes vivem, convivem, cooperam e dividem o mesmo lugar. Na Floresta Amazônica, habitam cerca de 80 mil espécies de plantas, sendo que mais da metade são essenciais na regulação da temperatura do nosso planeta. A grande maioria da fauna amazônica é composta por plantas endêmicas, ou seja, únicas para aquele ambiente. Isso inclui espécies de bromélias, palmeiras, epífitas (plantas que se desenvolvem sobre outras plantas), trepadeiras, samambaias, lírios, orquídeas e muitas árvores diferentes. Por isso, dizem que a cura para muitas doenças do mundo estão na Floresta Amazônica, esperando para serem descobertas. As plantas podem servir como componentes ou como inspiração no desenvolvimento de medicamentos. Normalmente, as plantas medicinais têm um custo menor em comparação aos produtos farmacêuticos. Algumas pesquisas indicam que existem centenas de remédios à base de plantas amazônicas usadas na medicina tradicional. Segundo um estudo sobre plantas medicinais da Amazônia, a malária, por exemplo, que é uma doença comum dessas regiões, pode ser tratada com mais de 40 diferentes espécies de plantas presentes na floresta.

Frutas da Floresta Amazônica que talvez você não conheça

Pepino do Mato

Apesar de ter um grande potencial alimentar e nutricional, é pouco conhecida. Tem uma consistência dura, com textura áspera e coloração castanho-acinzentada. Para consumir, é necessário extrair antes o látex ou deixá-lo dentro da geladeira por no mínimo 8 horas.

Mari-mari (umari)

Dá em árvores altas parecidas com o abacateiro. Quando bem maduros e moles, come-se a polpa. Tem um aroma marcante e é rico em vitamina A, fibras, carboidratos, óleos e proteínas.

Abiu

Quando maduro, tem uma coloração amarela e uma polpa adocicada. É rico em fibras, vitaminas do complexo B e sais minerais como cálcio, fósforo e ferro.

Bacaba

Muito parecido com o açaí, porém mais oleoso. A polpa do fruto é utilizada para produzir o “vinho de bacaba”, sucos e sorvetes.

Pajurá

Sua cor alaranjada forte, seu gosto adocicado de polpa espessa e seu cheiro marcante chama a atenção dos animais da floresta. A árvore do pajureiro pode alcançar até 20 metros de altura.

Qual é a importância da Floresta Amazônica?

Aqui já falamos que ela é a maior floresta tropical do mundo e já citamos algumas vezes a quantidade de plantas e de animais que ela abriga. Podemos dizer que vivemos juntos em um grande ecossistema chamado planeta Terra e que tudo, absolutamente tudo, está interligado. A Floresta Amazônica não é apenas importante para as mais de 500 comunidades indígenas que lá vivem. Manter a floresta em pé é importante para o mundo inteiro. Além dela contribuir para o seu próprio clima, ela é importante para o equilíbrio climático no nosso planeta. As plantas da Amazônia têm um papel crucial na manutenção do ecossistema. Durante a sua fotossíntese, elas, além de regularem o clima local, através de um processo de transpiração, liberam umidade que é capturada pelas nuvens. Conforme a chuva cai na floresta, o ar quente sobe alto na atmosfera, que se encontra com a umidade vinda do oceano, contribuindo para a chuva em lugares distantes do planeta. As inúmeras variedades de animais, por exemplo, desempenham um papel importante em manter a floresta saudável. As carcaças, fezes e restos de comida depositados no solo são absorvidos pela terra. Isso não é apenas importante por manter o solo fértil, mas também porque um solo saudável e vivo retira e armazena o CO2 da atmosfera. Quando os animais entram em extinção e as árvores são derrubadas ou queimadas, todo o carbono armazenado no solo e nas plantas é liberado para a atmosfera, contribuindo ainda mais para a emergência climática que estamos vivendo.

Quem protege a Floresta Amazônica?

A proteção da Amazônia deveria vir principalmente dos governos, já que, como explicamos, ela é essencial para a saúde e manutenção do nosso planeta. Embora existam leis ambientais, que vamos tratar um pouco mais abaixo, o governo desde 2019 vem fazendo o contrário do esperado. Hoje o que mais protege a Amazônia são as pressões externas, vindas de países que ameaçam economicamente o Brasil, as ONGs ambientais e principalmente as comunidades indígenas.

O desmatamento na Floresta Amazônica

Segundo dados do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), em 2019 batemos o recorde de desmatamento mundial, chegando à casa dos cinco dígitos, com 10.129 quilômetros quadrados de floresta desmatada. O índice de desmatamento é medido através da análise de imagens de satélites. É um trabalho demorado feito todos os anos, com a coleta de imagens entre os meses de agosto e julho. Os resultados só são divulgados no ano seguinte. Em 2019, os Estados que tiveram as maiores altas de desmatamento foram Roraima, com 203%, Acre, com 54% e Pará, com 52%. O município de Altamira, no Estado do Pará, teve uma área de floresta do tamanho de duas cidades de São Paulo desmatada. Já o desmatamento de terras indígenas cresceu 90%, sendo que as mais desmatadas foram Cachoeira Seca, Apyterewa e Ituna-Itatá, também no Pará.

É permitido desmatar? O que o código florestal diz?

O Código Florestal é a lei que regula o uso de terras nas florestas brasileiras, inclusive na Amazônia. Nele, permite-se que as áreas particulares nas áreas da Floresta Amazônica sejam desmatadas em até 20% do total, deixando 80% como reserva legal. Porém, há movimentos muito fortes, liderados principalmente por ruralistas e negociadores de madeira, que querem que esses valores sejam revistos. Também existem compensações em Estados que têm reservas indígenas, pois quando elas ultrapassam 65% da área do Estado, a reserva legal pode cair para apenas 50% das propriedades.

O que é a reserva legal?

É importante que você entenda o conceito de reserva legal. Ela é a área prevista para utilização para agricultura, pecuária ou outras atividades de cada pedaço de terra. Em cada ambiente e cada bioma, a reserva legal é definida por uma porcentagem. No caso da região amazônica, ela é de 80% dos terrenos particulares.

 

Como preservar a floresta amazônica? 6 passos para ajudar

Mas, apesar de todos os problemas para a defesa da Amazônia, não podemos nos sentir impotentes. Existem algumas maneiras que podemos ajudar a diminuir o desmatamento e preservar a Floresta Amazônica.

1. VOTO CONSCIENTE: o seu voto é a maior arma contra os atentados a natureza. Pesquise seus candidatos, vote em quem tenha a pauta ambiental no centro das suas atuações.

2. FAÇA PARTE: ajude, divulgue e participe de ONGs ambientais. Aqui explicamos tudo sobre elas.

3. COMA MENOS CARNE: reduzindo o consumo, a gente reduz a demanda, logo reduzimos os incentivos para derrubar mais florestas destinadas à pecuária. Tente focar em uma dieta a base de plantas. Já ouvi falar sobre a dieta plant based?

4. USE MENOS PAPEL: estamos em 2021. Você precisa de realmente de tanto papel assim? Seu celular pode ter todos os documentos, contas, recibos e espaços para anotações que você precisa.

5. USE MENOS MADEIRA: compre móveis e itens de construção de empresas que trabalham com madeiras de reflorestamento.

6.PRATIQUE OS CINCO Rs DA SUSTENTABILIDADE: Recuse, Reduza, Reutilize, Recicle e Repense!

Enfim, você agora sabe tudo o que precisa saber sobre a Floresta Amazônica. Sabe a importância dela para o Brasil, para o mundo, para você e para as futuras gerações.

Deixe um comentário

Todos os comentários do blog são verificados antes da publicação
Nós utilizamos cookies para personalizar sua experiência no nosso site! Ao permanecer navegando, você concorda com as condições da nossa política de privacidade.
Obrigada!
Esse é nosso cupom de 5% de desconto: NOCAMINHODOBEM